Embora exista um número imenso de pesquisas sobre a depressão e suas causas, ainda não existe consenso ou certeza sobre todos os mecanismos ou fatores envolvidos no desenvolvimento de um quadro depressivo. Apesar disto, diversas teorias buscam explicar o porquê ocorre a depressão. Assim como em outros transtornos mentais, existe consenso de que nenhum fator isolado ou único explica o surgimento e a manutenção de um transtorno psiquiátrico.

E noção mais aceita hoje em dia é a de que a depressão é um transtorno biopsicossocial, ou seja, que possui aspectos biológicos, psicológicos e sociais e que seu desenvolvimento e ocorrência dependem da interação entre estes fatores.

Por aspectos biológicos poderíamos citar alterações nos neurotransmissores ( que são hormônios do cérebro) observados em diversos estudos, e que explicam o mecanismo e funcionamento das medicações antidepressivas.
Nos quadros de depressão os neurotransmissores encontram-se alterados, contribuindo para os estados depressivos. Diversos estudos demonstraram a ocorrência aumentada de depressão entre familiares, apontando para uma possível predisposição genética para a depressão.

Já entre os fatores psicológicos estão as experiências de vida, crenças, comportamentos e vulnerabilidades pessoais, que contribuem para a percepção e vivencia das experiências de forma mais difícil e sofrida do que já são.

E finalmente entre os aspectos sociais podemos destacar ambientes, pessoas e contextos que podem agir como facilitadores ou protetores para o surgimento da depressão. Fatos como desemprego, perdas, etc. podem contribuir significativamente para o estabelecimento de um quadro depressivo.

Sob a ótica da Terapia Cognitiva, entendemos que estes fatores se inter-relacionam de forma a que situações de vida (fatores ambientais) geram stress, que atua sobre uma predisposição genética e uma vulnerabilidade psicológica fazendo com que desta interação surja o contexto desencadeador da depressão.

A partir desta inter-relação, ocorrem a ativação de crenças negativas que contribuem para uma visão negativa de si mesmo, das pessoas, do mundo e do futuro, gerando mudanças cognitivas, emocionais e fisiológicas que atuam como reforçadores do quadro depressivo.

A combinação destes diversos fatores ajuda a explicar o porquê certas pessoas conseguem passar por determinadas situações sem que entrem em depressão e outras acabem por desenvolver este problema.

 

Fonte: Depressão: Causas e Tratamento. Aaron T. Beck. Ed. Artmed