Falar sobre depressão se tornou lugar comum em nossa sociedade e frequentemente encontramos pessoas afirmando que fulano está deprimido, ou então elas mesmas. Porém o que significa realmente depressão? afinal, o que é depressão?

Usos do termo depressão

O termo depressão possui muitos significados em nossa língua. Etimologicamente, o termo depressão deriva do latim “deprimire” e significa pressionar para baixo. Comumente utilizamos este termo para nos referir a uma piora do humor, na forma de tristeza, algo que é absolutamente normal em todas as pessoas, e que todos experimentaremos na vida. Porém esta experiência é bem diferente do que é de fato ter a doença chamada depressão.

Além disto, a piora do humor e outros sintomas associados podem aparecer em outras situações de vida, como por exemplo doenças graves, mudanças importantes ou outros quadros de doenças mentais, sendo que nestas situações são sintomas de um outro quadro de saúde, e não o transtorno de humor chamado depressão.

Depressão também é utilizado para se referir ao Transtorno Depressivo Maior, um tipo específico de transtorno de humor, que é o tipo de transtorno mental que mais afetas as pessoas no mundo.

O que é depressão?

Apesar da importância dada ao componente do humor (tristeza) quando falamos de pressão, esta é apenas uma parte do quadro muito mais complexo e sério que compões a depressão, podendo inclusive não aparecer em suas fases iniciais, ou não ser a principal queixa da pessoa com depressão. Inicialmente pode se configurar como uma diminuição ou perda de prazer ou de interesse por hábitos ou situações que antes eram vivenciadas com prazer.

O transtorno depressivo, ou depressão é um quadro complexo, composto por alterações no humor, nos pensamentos, na motivação e também por alterações físicas, devendo ocorrer por pelo menos 2 semanas e provocando alterações e ou prejuízos no funcionamento anterior.

Hoje é consenso que as seguintes alterações são características do quadro depressivo, sendo que não necessariamente precisem ocorrer todas:

  • Alteração específica do humor: tristeza, solidão, apatia, etc.
  • Autocrítica negativa associada a recriminação e autoacusações
  • Desejos regressivos e autopunitivos: desejo de fugir, esconder-se, morrer.
  • Alterações vegetativas: perda de apetite, insônia, perda de libido.
  • Alteração no nível de atividade: retardo psicomotor ou agitação.

Importante também lembrar que estes sintomas não devem estar sendo provocados por outro quadro clínico, como por exemplo o hipotireoidismo, ou pelo uso de outras substancias psicoativas como remédios ou drogas.

Se você se identificou com este quadro ou tem se sentido desta forma, busque ajuda especializada, pois comprovadamente quem busca tratamento se recupera mais rápido, recuperando a capacidade de aproveitar a vida.

 

Fonte: Depressão – Causas e Tratamento. Aaron T. Beck. Ed Artmed
                  Depressão: Teoria e Clínica. João Quevedo. Artmed