Embora todas as manifestações de ansiedade patológica tenham em comum o medo, a ansiedade se manifesta de diferentes formas, com efeitos diferentes e em situações distintas. Desta forma dentro dos problemas ligados a ansiedade se distinguem seis transtornos diferentes.

Entender suas diferenças e características permite uma melhor compreensão de como eles funcionam e quais as melhores técnicas e procedimentos utilizar para seu tratamento, desta forma sendo mais eficaz e possibilitando uma recuperação mais rápida.

Vamos conhecer melhor cada um destes transtornos então.

Fobia Específica

É o medo de um estímulo ou situação específica, como por exemplo: aviões, elevadores, água, certos animais, etc.

Sua crença é a de que a coisa é de fato perigosa em si mesma (o avião pode cair, o cachorro morder, etc.) Cerca de 12% das pessoas tem fobia específica, embora um número muito maior possa ter medos determinados em torno de um ou mais estímulos.

Transtorno de Pânico

É o medo de suas próprias reações fisiológicas e psicológicas a um estimulo (em essência, medo de um ataque de pânico). Quaisquer anormalidades, tais como respiração alterada ou batimentos cardíacos acelerados, vertigens, suores ou tremores são vistos como sinais de um colapso iminente, insanidade ou morte.

A Evitação que acompanha as situações que podem ocasionar essas reações é conhecida como Agorafobia (ou medo de lugares púbicos) e com frequência limita de maneira grave a mobilidade. Cerca de 3% das pessoas tem esse transtorno, que em geral vem acompanhado de depressão.

Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)

A pessoa tem pensamentos recorrentes, ou imagens (obsessões) que considera estressantes, por exemplo: pensar que está sendo contaminada, perdendo o controle, cometendo um erro ou se comportando de maneira inadequada. Há uma necessidade urgente de realizar certas ações (compulsões) que neutralizarão estas imagens, como lavar-se, realizar rituais, fazer verificações constantes, etc.

O transtorno em geral leva à depressão e afeta cerca de 3% da população

Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

Essa é essencialmente uma tendência a se preocupar continuamente com um monte de coisas. Os pensamentos se voltam para a imaginação de todas as possíveis consequências negativas e de maneiras de impedi-las.

O Transtorno muitas vezes é acompanhado por sintomas físicos de estresse como insônia, tensão muscular, problemas gastrointestinais, etc. Cerca de 9% das pessoas tem esse transtorno.

Transtorno de Ansiedade Social ou Fobia Social

Medo de ser julgado pelos outros, especialmente em situações sociais. Essas situações incluem apresentações, festas, encontros, comer em locais públicos, usar banheiros públicos ou simplesmente encontrar novas pessoas.

Os sintomas incluem tensão extrema ou “paralisia”, preocupação obsessiva com interações sociais e uma tendência ao isolamento e a solidão. O transtorno é frequentemente acompanhado pelo uso de drogas ou álcool. Cerca de 14% das pessoas tem esse transtorno de alguma forma.

Transtorno de estresse pós-traumático

Esse transtorno envolve o medo excessivo causado por exposição anterior a uma ameaça ou danos. Traumas comuns são o estupro, a violência física, sequestros, acidentes graves, e exposição à guerra.

As pessoas que sofrem deste transtorno frequentemente reexperimentam seus traumas sob a forma de pesadelos ou flashbacks e evitam situações que tragam lembranças perturbadoras. Elas podem exibir irritabilidade, tensão e hipervigilância. O álcool e o abuso de drogas entre pessoas que sofrem são muito comuns, assim como são os sentimentos de depressão e falta de esperança.

Cerca de 14% das pessoas sofrem deste transtorno.

Apesar das diferenças entre eles, a boa notícia é que todos podem ser tratados e com o método certo é possível superar essas dificuldades e obter uma boa qualidade de vida. Com a terapia Cognitivo Comportamental, que é a terapia mais indicada para o tratamento dos transtornos de ansiedade atualmente, é possível a melhoria do quadro de forma natural, sem medicações.

Fonte: Livre de Ansiedade. Robert Leahy. Ed Artmed